03/03/2015 :: Edição 5457

MCMV

SETOR AGUARDA LANÇAMENTO DA TERCEIRA FASE DO MINHA CASA MINHA VIDA

Em matéria sobre a Fase 3 do Programa Minha Casa Minha Vida, publicada nesta terça-feira (3), no jornal Brasil Econômico, o presidente da CBIC, José Carlos Martins, destaca que o programa foi muito positivo do ponto de vista social e do ponto de vista dos negócios. “O problema é que colocaram o pé no freio por causa dos ajustes fiscais", lamenta Martins. A terceira fase do MCMV, anunciada em julho de 2014 com meta de construir três milhões de unidades habitacionais, continua sem data para ser lançada, gerando incertezas no mercado nacional da construção civil.
 
O presidente José Carlos Martins deixa claro na matéria que os maiores desafios do MCMV3 são os custos dos terrenos e o serviço social dos empreendimentos voltados para as famílias que compõem a Faixa 1, com renda de até R$ 1,6 mil, que contribuem para ensinar os moradores a viverem coletivamente em condomínios. Além disso, a fim de superar o desafio de expandir o programa nas regiões metropolitanas do Brasil, a CBIC está realizando um estudo que pretende levantar a demanda, custos e mapear imóveis localizados nos centros das grandes cidades que poderiam ser reformados e financiados pelo MCMV. A proposta, segundo o presidente da CBIC, teve boa acolhida por parte do governo federal.
 
Clique aqui para acessar a íntegra da matéria.



COP/CBIC

MINISTRO DAS CIDADES DEFENDE DEPARTAMENTO ESPECIALIZADO NOS ESTADOS PARA ASSESSORAR MUNICÍPIOS NA ELABORAÇÃO DE PROJETOS

Em palestra no último dia 26/02 para prefeitos na cidade de Capão da Canoa, no Rio Grande do Sul, o ministro das Cidades, Gilberto Kassab, defendeu que os governos Estaduais devem avaliar a possibilidade de se criar um departamento específico para assessorar municípios na elaboração de projetos de parceria administrativa com a União.A defesa vem ao encontro da proposta apresentada pela Comissão de Obras Públicas (COP) da CBIC ao secretário Nacional de Saneamento do Ministério das Cidades, Paulo Ferreira, na reunião da COP/CBIC no dia 29 de janeiro. A Comissão, presidida por Carlos Eduardo Lima Jorge, propôs ao Ministério estruturar e dar melhores condições aos municípios para a elaboração de projetos, tendo em vista que eles têm sido detectados como o principal problema para a execução de obras.De acordo com o ministro, essa medida aumentaria a agilidade na tramitação, aprovação e liberação dos recursos. "A maioria dos municípios tem corpo técnico e infraestrutura restritos e dificuldades orçamentárias e financeiras, portanto essa assessoria especializada ajudaria não só em maior eficiência, como na elaboração de um banco de projetos que ficariam à disposição das futuras gestões", afirmou Kassab.Durante a palestra, os secretários nacionais de Saneamento Ambiental, Transporte e Mobilidade Urbana, Programas Urbanos e Habitação tiraram dúvidas sobre encaminhamentos de projetos dos prefeitos da região ao Ministério das Cidades. (Com informações da Assessoria de Imprensa do Ministério das Cidades)
 


COP/CBIC

GOVERNO FEDERAL BLOQUEIA TEMPORARIAMENTE RECURSOS DO PAC

O Governo Federal bloqueou R$ 32,5 bilhões de despesas contratadas para o Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) no que diz respeito aos projetos licitados em 2013 ou anos anteriores e ainda não iniciados. Em julho, uma votação no Planalto decidirá se o bloqueio realizado no último dia 26 de fevereiro será mantido.O bloqueio temporário foi determinado como parte do congelamento de despesas promovido pelo Ministério da Fazenda, que suspendeu o repasse de R$ 142,6 bilhões em verbas para ações ou obras não iniciadas até 2014, incluindo as do PAC. Desse total, R$ 71,6 bilhões correspondem a verbas inscritas em 2013 e R$ 71 bilhões aos projetos de 2014.Para o presidente da Comissão de Obras Públicas (COP) da CBIC, Carlos Eduardo Lima Jorge, a decisão pode ser entendida como a aplicação de um “freio de arrumação” sobre as despesas e receitas, com a finalidade de readequar os projetos e obras do PAC à efetiva disponibilidade de recursos para 2015. “Nesse aspecto a iniciativa é louvável, pois não se deve contratar obras e assumir compromissos sem que haja capacidade de honrá-los”, destaca Carlos Eduardo Lima Jorge.No entanto, segundo Carlos Eduardo, o que acende um sinal de alerta perigoso sobre a medida é o resultado fiscal verificado em janeiro/2015, de uma queda de 4,07% em termos reais nos gastos (comparados à janeiro/2014), queda essa decorrente da retração de 35,44% nos Investimentos. E pior: com elevação de 14,34% nos gastos com custeio.“Está aí o perigo da receita adotada. Elevação da carga tributária e corte nos investimentos. Inaceitável para o setor da Construção e para toda a sociedade”, ressalta o presidente da COP/CBIC.(Com informações do Portal Piniweb)
 


Brasil Eficiente

CBIC REÚNE PARLAMENTARES PARA O EVENTO “BRASIL EFICIENTE - PROPOSTAS DO SETOR DA CONSTRUÇÃO” NO DIA 18 DE MARÇO

A CBIC, com apoio do Sesi, promove no dia 18 de março, em Brasília, o “Brasil Eficiente - Propostas do setor da construção”. O evento contará com a participação de parlamentares e empresários do setor da construção, além de agentes do setor público, que discutirão propostas de interesse da Indústria da Construção e do Mercado Imobiliário. Para auxiliar a participação dos associados no evento, a CBIC informa que restam apenas 35 apartamentos bloqueados no Hotel Brasil 21 Convention, de 17 a 18 de março. Lembrando que as reservas devem ser feitas até o dia 13 de março pelos e-mails  O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.  e O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo. .
 


Construção Sustentável

CBIC APOIA REALIZAÇÃO DA FEIRA DA CONSTRUÇÃO SUSTENTÁVEL EM MAIO

A 2ª edição da Feira da Construção Sustentável (Feconati), que tem o apoio institucional da CBIC, será realizada de 28 a 31 de maio, em Atibaia/SP. Organizada pelo Grupo Perfil, a Feconati visa apresentar ao mercado soluções sustentáveis para a construção civil. A feira reunirá fabricantes de todo país comrodutos que possuem o selo verde e sustentáveis, além dos serviços que buscam qualidade e uso consciente de recursos naturais na construção civil com menos impacto ao Meio Ambiente e soluções para redução de energia, reutilização da água e a utilização de produtos reciclados e acessíveis na construção e reformas. O evento reunirá também engenheiros, construtores, arquitetos, decoradores, estudantes, formadores de opinião e representantes de órgãos públicos.Paralelamente ao evento irá acontecer o Congresso de Sustentabilidade  que debaterá os principais temas da atualidade, como o  uso racional da água, energias renováveis e eficiência energética, bairros sustentáveis, certificações, políticas públicas para construção sustentável ministradas por especialistas.Serviço
FECONTI – Feira de Construção Sustentável
Data: 28 a 31 de maio de 2015
Horário: de 28 a 30 -  das 10h às 20h |  dia 31 - das 10h às 18h
Local: Estação Atibaia
Endereço: Avenida Jerônimo de Camargo, 6308 -  Atibaia - SP, 12944-000
A Entrada para A FECONATI é gratuita basta realizar o credenciamento diretamente no site www.feconati.com.br

Cbic

Quem Somos

O Sindicato da Indústria da Construção Civil do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba SINDUSCON-TAP tem como missão representar os interesses do setor da construção civil, promover o desenvolvimento sustentável, melhoria contínua da qualidade dos produtos e serviços e o fortalecimento do segmento nas regiões do Triângulo Mineiro e Alto Paranaíba... Ler Mais

Newsletter